♥Amigos do Blog♥

♥Visitantes♥

♥

terça-feira, 25 de maio de 2010

Jogadores do Brasil na Copa




Dunga anunciou a lista de jogadores que vai lutar pelo hexa na Copa do Mundo nesta terça-feira, 11. Sem muitas surpresas na lista dos 23 nomes escolhidos, apesar da torcida, o técnico da seleção brasileira deixou os santistas Neymar e Ganso de fora do mundial da África do Sul. Confira o nome dos 23 escolhidos pelo técnico da seleção.


Goleiros

- Júlio César
- Gomes
- Doni


Laterais
- Maicom
- Daniel Alves
- Gilberto
- Michel Bastos


Zagueiros
- Juan
- Lúcio
- Luisão
- Thiago Silva


Meio Campo
- Gilberto Silva
- Felipe Melo
- Josué
- Kleberson
- Elano
- Ramires
- Kaká
- Julio Baptista


Atacantes
- Luís Fabiano
- Nilmar
- Robinho
- Grafite


A seleção estreia na Copa no próximo dia 15 de junho, em jogo contra a Coreia do Norte no estádio Ellis Park, em Joanesburgo, às 15h30m (horário de Brasília). Cinco dias depois, o time encara a Costa do Marfim no Soccer City, na mesma cidade e horário. O último rival da rodada do Grupo G é Portugal, no dia 25 de junho, às 11h (de Brasília), em Durban.

ABC do Futebol



É tanta comoção que é impossível não se contagiar com o clima. Tiramos nossa camisa verde e amarela do armário, gritamos, vibramos, xingamos o juiz e torcemos ferrenhamente para o Brasil em todos os jogos. Você pode até não ser muito fã de futebol e não curtir aqueles campeonatos intermináveis ao longo do ano, mas temos a certeza de que na Copa o sentimento é diferente.


Nessa época, marcar de assistir aos jogos com um grupo de amigos passa a ser o melhor programa do dia. E é nesses eventos que a gente percebe que faz falta aquele conhecimento prévio (e básico) sobre futebol. Foi pensando nisso que criamos um gráfico e um dicionário futebolístico especialmente para mulheres que até gostam, mas não sabem tuuuudo sobre o esporte. Para você não pagar mico e até tirar uma onda com o seus amigos, essa é um boa oportunidade para aprender um pouquinho mais e virar uma torcedora de carteirinha!


Contra-ataque: Quando o time "A" está com a posse de bola atacando no campo adversário e acaba perdendo a bola, o time "B" parte para o contra-ataque, tentando surpreender o time "A", que estará mais vulnerável com menos jogadores no seu campo de defesa.



Tiro de meta:
Quando o jogador do time "A" chuta a bola pela linha de fundo (linha que delimita o final do campo atrás dos gols), o jogador do time "B" , normalmente o goleiro, faz a cobrança e chuta a bola de volta ao campo.


Reposição de bola: Quando o goleiro agarra a bola e a põe em jogo novamente.


Obstrução: Quando um jogador impede o outro de passar a sua frente deslocando seu corpo a frente do mesmo e provocando uma falta.


Escanteio: Quando o jogador do time que está se defendendo é o último a tocar na bola antes da mesma sair pela linha de fundo. Nesse caso é cobrado o escanteio - que fica na quina do campo - pelo time que está atacando.


Jogo perigoso: Ocorre quando um jogador coloca em risco a integridade física do outro. O juiz marca uma falta que é cobrada em dois lances, ou seja, não pode ser cobrada diretamente para o gol.


Simulação: Quando algum jogador finge ter sofrido alguma falta ou agressão.


Acréscimos: Ao final do tempo regulamentar (45 minutos), o juiz pode fazer um acréscimo de tempo devido as paralisações ao longo do jogo (como faltas demoradas, lesões, substituições...).


Impedimento: Acontece quando um jogador recebe a bola depois do meio de campo e, no momento do passe, não tem ao menos dois jogadores de defesa (contando com o goleiro) a frente do jogador de ataque (ver infográfico detalhado).


Mata-mata:
São partidas decisivas que acontecem a partir das oitavas de final da Copa, onde quem perder é eliminado do campeonato.


Prorrogação:
Na Copa do Mundo isso acontece a partir das oitavas de final. Quando o tempo normal da partida termina empatado, ocorre a prorrogação - serão jogados mais dois tempos de 15 minutos, cada, sem intervalo. Se o empate persistir, a disputa é decidida na cobrança de pênaltis.



Disputa de pênaltis
: São cinco cobranças para cada time e, se ainda assim o jogo continuar empatado, parte-se para as cobranças alternadas: um pênalti pra cada um.


Fairplay: É o jogo limpo. Quando o jogador pensa no outro antes de pensar no jogo, em si.

Cartão amarelo: É dado por advertência por falta grave.


Cartão vermelho:
Punição mais severa com expulsão na hora. É apresentado a um jogador que tenha acabado de cometer uma falta grave ou quando ele recebe o segundo cartão amarelo.


Substituição: O time tem direito a até três substituições ao longo da partida. A decisão de que jogador sai ou entra, fica a critério do técnico.

Sobre o país da Copa- para História!

De quatro em quatro anos o mundo se volta para um país que, durante um mês, passa a ser o centro das atenções e dos corações fervorosos de qualquer torcida. Agora, pela primeira vez na história, a Copa do Mundo desembarca no continente africano e em uma nação que conta com a alegria única de seu povo. A África do Sul se prepara para viver momentos de glória e superação em um mundial que promete ser inesquecível.


Pensando nisso, criamos um "manual" histórico para você ficar antenada e saber tudo sobre esse país. Fique de olho e prepare-se para uma emocionante viagem no tempo.


Descobrimento


Em busca de riquezas e de uma nova rota marítima para a Índia, o português Bartolomeu Dias descobriu a África do Sul em 1488. Ele aportou na Ilha Robben (ao largo da atual Cidade do Cabo) e foi ali que durante anos holandeses, portugueses e ingleses reabasteceram suas embarcações. Os povos africanos que habitavam essa região passaram a ser submetidos as práticas agressivas dos "invasores" e, em 1591, um grupo denominado Khoikhoi atacou a ilha. Os europeus armados venceram fácil os guerreiros locais, e estes foram feitos prisioneiros.


Colonização

A primeira colonização ocorreu em 1652. Foi com o objetivo de fortificar a região que reabastecia as tropas europeias que Jan Vab Riebeeck fundou a Cidade do Cabo. Em 1795 a África do Sul viveu uma segunda colonização. Os ingleses ocuparam a cidade durante a Guerra Anglo-Holandesa e ela tornou-se, então, capital da Colonia Britânica do Cabo. Depois da abolição da escravatura, em 1835, os colonos passaram a explorar o interior do território africano.

Ouro, diamantes e guerras

Ao descobrirem ouro e diamantes os colonos começaram a enriquecer e, com isso, o parlamento britânico se enfureceu. A guerra estava instaurada: de um lado os Boers (colonos de origem holandesa, francesa e alemã) e de outro britânicos. Em 30 de maio de 1902, os Boeres, a fim de não serem dizimados, selaram a paz com os britânicos através do Tratado de Vereeniging. Com isso, o governo britânico passou a ser soberano e decidiu-se, então, que os negros não teriam direito a voto (exceto na Colônia do Cabo).


Apartheid

O sistema colonial era essencialmente racista e foi a partir daí que o Apartheid começou a dar seus primeiros sinais. Leis que não permitiam negros na igreja, que impediam que os mesmos não pudessem quebrar um contrato de trabalho foram implantados dando início ao regime discriminatório.

A Lei da Terra, implantada em 1913, foi a mais marcante: ela dividia a África do Sul em áreas que não poderiam ser frequentadas pelos negros. Com o regime cada vez mais rigoroso, os "casamentos mistos" passaram ser proibidos. Os negros só poderiam viver na cidades se fossem empregados e deveriam portar um passe e não poderiam entrar em determinadas lojas.

Representante contra o regime

Neste cenário tomado por desigualdades, surgem diversos ativistas negros lutando por suas causas. Nelson Mandela foi o que ganhou maior notoriedade no cenário internacional. Em 1962 ele foi por incentivar a luta contra o regime. O governo tento negociar sua liberdade e, diante de negativas por parte de Mandela, fracassou. No total, foram 27 anos na prisão e o ativista só foi liberado devido a uma forte comoção mundial a favor de sua liberdade.

TESTE: O que você sabe da história das Copas


Em 1993, Mandela recebeu o Prêmio Nobel da Paz por seu esforço para acabar com a segregação racial. Um ano depois, o líder foi eleito presidente da África do Sul através das primeiras eleições multirraciais do país. Em seu governo, negros e brancos passaram a trabalhar juntos sem qualquer distinção. Pela primeira vez na história do país se via uma ação como essa.


Copa e esperança



Atualmente, a população sulafricana é formada por 80% de negros. Mesmo após anos de luta e do governo de Mandela, o preconceito ainda é muito forte. Negros estudam nas mesmas escolas e universidades que os brancos, mas relatam dificuldades em fazer amizades ou se envolver com alguém. O regime do Apartheid foi abolido, mas deixou uma barreira invisível que ainda convive no país. Muitos acreditam que não existe de fato um esforço do governo para que esta situação se resolva, para que as pessoas se misturem.

Ataques xenófobas ainda são comuns e estão diretamente ligados a má distribuição de recursos entre negros e brancos. Os problemas ainda persistem, mas a verdade é que a partir do dia 11 de junho, na África do Sul, todos os povos, cores e culturas estarão pela primeira vez lutando e torcendo por um mesmo ideal. Realizar a Copa com sucesso é uma esperança para que, embora o país seja assolado por problemas sociais, o fim do preconceito esteja próximo.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

PROJETO COPA DO MUNDO 2010



Projeto Copa do Mundo (para adaptar)

Tema: União das Nações através da Copa do Mundo.

Maternal A – Itália
Maternal B – França

Justificativa

O futebol é uma das maiores paixões do povo brasileiro. Mesmo ganhando ou perdendo as pessoas continuam com a paixão. Quando se fala de Copa do Mundo todos ficam atentos para torcer por seu país, não importa onde está todas as nações se unem e acompanham este grande evento.

Objetivo Geral

O desenvolvimento deste projeto mostrará para o aluno a diferença entre os países, em relação ao modo de se vestir, alimentação e música.
O desenvolvimento deste projeto tem em vista um trabalho interdisciplinar. É possível desenvolver diversos conhecimentos através deste evento, pois o futebol tem um grande espaço em nossa cultura e é preciso lembrar que um evento como a Copa reúne vários países sem a descriminação das diferenças como: raça, religião, classe social etc.

Objetivos Específicos

- Divulgar, valorizar e conhecer as culturas do Brasil, Itália (Mat. A) e França (Mat. B);
- Visualizar danças, músicas, comidas, roupas e pontos turísticos tradicionais de cada país;
- Identificar os países através da bandeira e cores;
- Compreender e Respeitar o trabalho coletivo.

Período de Realização: Março à Agosto 2010.

Apresentação do Projeto: 28/08
Metodologia

- Será usado o laboratório de informática e data show.
- Exibição de fotos dos países e vídeos de futebol.

Passeio do 2º Bimestre

- Visitar um campo de futebol

Temas transversais

Ética: Abordagem da união dos povos através da copa, respeito entre os alunos e as regras, trabalhar o conceito de que nem sempre se vence. Através das derrotas traçamos novas estratégias.

Meio Ambiente: Observar os lugares e as mudanças por causa da copa (enfeites), localizar pontos positivos (torcida) e negativos (sujeira).

Pluralidade Cultural: Verificar se possui costumes dos outros países que nós herdamos. Pesquisar alguns ídolos e montar um painel dos ídolos do futebol da vários países.

Matemática

- Construção de um campo de futebol para localizar as formas geométricas;
- Quantidade de jogadores no campo de futebol.

Língua Portuguesa

- Hino Nacional (confecção do hino com figuras relacionadas às palavras).

Artes

- Criação de um mascote para a sala;
- Reprodução de uma obra de Candido Portinari – Futebol;
- Música Partida de Futebol do Skank;
- Confecção de 1 jogador de futebol do país trabalhado.
Desenvolvimento do Projeto

1ª Atividade

Em um primeiro momento será realizada a seguinte pergunta:
Qual o significado da copa para a família?

Para iniciar o projeto será apresentado o Globo terrestre para mostrar que existem muitos lugares e que cada parte colorida tem um nome, será identificado o Brasil. Após a identificação será mostrada imagens sobre costumes, músicas, comidas e pontos turísticos.
Os alunos irão confeccionar a bandeira do Brasil que ficará exposta na sala (serão identificadas as cores e formas geométricas).

Material: Globo terrestre, 1 papel cartão branco, guache (verde, azul, amarelo, branco).

2ª Atividade

Será realizada uma roda de conversa perguntando para os alunos “O que é futebol?” Cada resposta será anotada para a confecção de um painel.
Após a roda os alunos irão ver vídeos de crianças, personagens e animais jogando bola.

Material: Cartolina, Data show.

3ª Atividade

Através do Globo terrestre os alunos identificarão onde fica a Itália (Mat. A) e França (Mat. B).
Após a localização será confeccionada a bandeira do país que ficará exposta na sala (serão identificadas as formas geométricas e as cores).

Material: Papel Cartão Branco (2), guache (azul, verde, vermelho, branco).
4ª Atividade

Conhecimento das músicas da Itália (Mat. A) e França (Mat. B), momento de muito aprendizado para o conhecimento de um novo ritmo musical.

Material: Som e música.

5ª Atividade

Conhecendo um pouco da cultura da Itália (Mat. A) e França (Mat. B) como costumes, roupas e pontos turísticos. Através de fotos e vídeos.

Material: Data show.

6ª Atividade

Culinária: os alunos irão conhecer um pouco das comidas típicas

- Itália (Mat. A): irá fazer Polenta

Ingredientes
• 2 litros de água
• 1 colher (sopa) de sal
• 2 colheres (sopa) de manteiga
• 400 g de fubá mimoso

Preparo da Receita
Coloque a água para ferver e acrescente o sal e a manteiga. Assim que iniciar a fervura, comece a acrescentar o fubá aos poucos, mexendo sem parar para que não empelote. Colocado todo o fubá, continue a mexer regularmente. Para um perfeito cozimento, o ideal é que a polenta cozinhe por 30 minutos em fogo baixo. Despeje em um refratário e salpique com parmesão, podendo cobrir com o molho de sua preferência.

- França (Mat. B): irá fazer Pão Frances
Ingredientes
½ quilo de farinha de trigo
15 g de fermento para pão
15 g de sal
20 g de açúcar
1 colher (sopa) se margarina
Modo de Preparo
1.Dilua o fermento em um copo de água morna com o açúcar
2.Misture os outros ingredientes
3.Amassa e levante, empurrando a massa para frente, com a palma da mão e dobrando-a sobre si mesma
4.Se for necessário, coloque mais água e mais farinha
5.A massa não deverá grudar nas mãos
6.Deve ficar com aspecto leve e esponjoso
7.Deixe descansar por duas horas
8.A seguir, amasse novamente e prepare o pão, dando-lhe o formato desejado e coloque no tabuleiro untado
9.Se estiver pegajosa, espalhe mais farinha por cima
10.Deixe que ela descanse mais uma hora
11.Aqueça o forno e pincele o pão com água antes de colocá-lo no forno
12.Assar por 40 minutos mais ou menos
7ª Atividade
Passeio para o Campo de Futebol. Os alunos terão um momento de diversão e conhecimento para conhecer como é um campo e o que te nele: grama, trave, riscos no chão, formas geométricas, arquibancada etc.
8ª Atividade

Confecção do campo de futebol os alunos irão pintar a roupa dos jogadores com tinta plástica em pequenos bonecos de plástico. Em uma caixa de terra será plantada sementes de capim para a reprodução do campo.

Material: Caixa de Madeira, semente de capim, boneco de plástico, tinta plástica.

9ª Atividade

Confecção do jogador da Itália (Mat. A) e França (Mat. B). Será desenhado no papel cartão branco e pintado com tinta, cada aluno pintará uma parte do jogador. Para do desenvolvimento da coordenação motora e o trabalho em grupo.

Material: Papel cartão branco (20), guache (amarelo, azul claro, azul escuro).

10ª Atividade

Confecção da bola de futebol: os alunos pintarão a bola de isopor para reproduzir a bola de futebol. Este será um trabalho em grupo, para o desenvolvimento da coordenação motora e da criatividade.

Material: Bola de isopor (2 Grande), guache (preto, branco).


11ª Atividade

Reprodução da obra “Futebol” de Candido Portinari através da colagem dos personagens que aparece na obra, será realizada em papel colorido. Será realizada a obra por ter nascido no Brasil, seus pais eram imigrantes Italianos e viaja para Paris. Reúne os 3 países trabalhados pelo Maternal.
12ª Atividade

Confecção da lembrança: os alunos irão confeccionar uma mini-taça para levar no dia. Os alunos irão confeccionar a base com biscuit colorida e bolinha de isopor. Os alunos desenvolverão o movimento de amassar e a criatividade.

Material: Biscuit colorida (20), Bolinha de isopor (20 Peq. – Ping-Pong).





13ª Atividade

Pesquisa para os pais realizarem com os filhos: será solicitado para os pais que observem e anotem quais são as mudanças nos locais por causa da copa? Se possível tirar uma foto da família ou do aluno em um momento de jogo ou em algum local que tenha objetos de decoração da copa.

Material: Pesquisa dos pais.

14ª Atividade

Reprodução do ponto turístico:
- Canal de Veneza Itália (Mat. A): Desenvolvendo a criatividade e a montagem de uma maquete.

Material: Placa de Isopor (2 Grossa), gel, argila, paisagem.

- Torre Eiffel França (Mat. B): Desenvolvimento da criatividade e da coordenação motora para a montagem com palitos.

Material: Palito de sorvete amarelo (1.000), gliter dourado.


16ª Atividade

Montagem do jogo da memória com a bandeira dos países trabalhados com caixa de leite e barbante.

Material: Caixa de leite (6), barbante, bandeiras (EVA).

17ª Atividade

Recorte de torcedores da copa. Os pais enviarão diversas figuras de torcedores para a montagem da arquibancada para o campo de futebol. Serão trabalhadas as expressões faciais (feliz, triste, gritando).

18ª Atividade

Confecção do Hino Nacional com figuras. Será desenvolvida a linguagem oral e visual através das imagens.

Material: Hino Nacional, Figuras, cola, papel cartão branco (2).

19ª Atividade

Confecção do mascote, os alunos escolheram um mascote para acompanhar durante todo o projeto.

Material: Opções de mascotes.

12ª Atividade

Confecção da lembrança: os alunos irão confeccionar uma mini-taça para levar no dia. Os alunos irão confeccionar a base com biscuit colorida e bolinha de isopor. Os alunos desenvolverão o movimento de amassar e a criatividade.

Material: Biscuit colorida (20), Bolinha de isopor (20 Peq. – Ping-Pong).





13ª Atividade

Pesquisa para os pais realizarem com os filhos: será solicitado para os pais que observem e anotem quais são as mudanças nos locais por causa da copa? Se possível tirar uma foto da família ou do aluno em um momento de jogo ou em algum local que tenha objetos de decoração da copa.

Material: Pesquisa dos pais.

14ª Atividade

Reprodução do ponto turístico:
- Canal de Veneza Itália (Mat. A): Desenvolvendo a criatividade e a montagem de uma maquete.

Material: Placa de Isopor (2 Grossa), gel, argila, paisagem.

- Torre Eiffel França (Mat. B): Desenvolvimento da criatividade e da coordenação motora para a montagem com palitos.

Material: Palito de sorvete amarelo (1.000), gliter dourado.


16ª Atividade

Montagem do jogo da memória com a bandeira dos países trabalhados com caixa de leite e barbante.

Material: Caixa de leite (6), barbante, bandeiras (EVA).

17ª Atividade

Recorte de torcedores da copa. Os pais enviarão diversas figuras de torcedores para a montagem da arquibancada para o campo de futebol. Serão trabalhadas as expressões faciais (feliz, triste, gritando).

18ª Atividade

Confecção do Hino Nacional com figuras. Será desenvolvida a linguagem oral e visual através das imagens.

Material: Hino Nacional, Figuras, cola, papel cartão branco (2).

19ª Atividade

Confecção do mascote, os alunos escolheram um mascote para acompanhar durante todo o projeto.

Material: Opções de mascotes.

Em ano de Copa torna-se impossível desenvolver projetos e/ou seqüências de atividades que fujam do assunto. Em nosso país o futebol mobiliza: o brasileiro para, vibra, debate e chora.
Levando em consideração que a pedagogia de projetos parte dos interesses e necessidades dos alunos, a Copa do Mundo, sem dúvidas, é um tema rico em possibilidades. Devemos aproveitar toda essa mobilização para dar mais sentido às aulas, trabalhando de forma interdisciplinar e abordando temas atuais e transversais como: Pluralidade Cultural, Meio Ambiente, Saúde, Trabalho e Consumo, o que permitirá que as crianças descubram diferentes culturas, conheçam várias etnias, valorizando-as e respeitando-as.
Para tanto, é fundamental:


Repudiar a discriminação baseada em diferenças de raça, religião, classe social, nacionalidade e sexo.
Estimular a pesquisa, fazendo com que os alunos busquem curiosidades e informações sobre os países participantes da Copa.
Identificar as regras disciplinares que envolvem a organização do time e comparar com as regras do dia a dia, na escola e Sociedade.
Desenvolver o senso crítico em busca de soluções a curto e longo prazo, usufruindo da competição para promover reflexões, interpretações e argumentações.
Explorar diferentes meios de comunicação, levando jornais, revistas, músicas, filmes, noticiários e internet para sala de aula.
Aproveitar a oportunidade para que as crianças lidem com a frustração – o ganhar e o perder, encarando como fato natural. Muitas vezes aprendemos mais com as derrotas do que com as vitórias.
Valorizar o espírito de equipe nas atividades propostas.
É urgente colocar sentimento e esperança, ousadia e inovação, entusiasmo e paixão no ato de educar. Por isso, basta usar a criatividade e o segundo semestre escolar, baseado no projeto Copa do Mundo envolverá a comunidade, desenvolvendo a construção de conhecimentos pautados na vida real.
Nos projetos, os professores e alunos interagem na organização dos conhecimentos, eles aprendem juntos. Os alunos situam-se diante da informação a partir de suas próprias possibilidades e recursos. O aluno descobre que não se aprende somente na escola e que o professor não é dono da verdade absoluta e que aprender pode ser muito divertido.
“A alegria não chega apenas no encontro do achado, mas faz parte do processo da busca. E ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da boniteza e da alegria.”
(Paulo Freire)

Copa do Mundo 2010

quinta-feira, 13 de maio de 2010

orkut - Blog da Profª Ananda Schultz


orkut - Blog da Profª Ananda Schultz

Símbolos da Festa Junina


As festas juninas vieram para o Brasil na época da colonização, trazidas pelos portugueses. São de origem francesa, por isso nas danças aparecem várias palavras nessa língua.

Nos arraiais juninos podemos encontrar vários elementos da cultura popular, que traduzem a crendice da população de cada região. Cada um desses símbolos tem um significado para a festa.

A quadrilha surgiu nos salões da corte francesa, recebendo o nome de “quadrille”, mas é de origem inglesa, uma dança de camponeses chamada “campesine”. Na época da colonização do Brasil, os portugueses trouxeram essa dança, bem como seus principais elementos: os vestidos lindos e rodados (que representavam as riquezas da corte), os passos puxados na língua francesa (anarriê, avancê, tour, etc.) e os agradecimentos aos santos pelas boas safras nas plantações.

O casamento caipira faz uma sátira aos casamentos tradicionais. A noiva está grávida e o pai da mesma obriga o rapaz a se casar. A apresentação do casamento na roça é muito engraçada, pois o noivo aparece bêbado, tentando fugir do altar por várias vezes, sendo capturado pelo pai da noiva que lhe aponta uma espingarda. Este conta com o apoio do delegado da cidade e do padre para que o casamento seja realizado. Após a cerimônia, os noivos puxam a quadrilha.

A fogueira simboliza a proteção dos maus espíritos, que atrapalhavam a prosperidade das plantações. A festa realizada em volta da fogueira é para agradecer pelas fartas colheitas. Além disso, como a festa é realizada num mês frio, serve para aquecer e unir as pessoas em seu redor. Cada santo tem uma fogueira, sendo a quadrada de santo Antonio, a redonda de são João e a triangular de são Pedro.

Os balões juninos indicam o início da festa, mas foram criados para reverenciar os santos da festa, agradecendo pela realização dos pedidos, normalmente relacionados ao namoro e ao casamento, onde as pessoas encontram seus pares românticos. Os balões não são mais usados, podem ocasionar vários incêndios, caindo em locais perigosos e destruindo a natureza.

Os fogos se originaram na China, também como forma de agradecer aos deuses pelas boas colheitas. São elementos de proteção, pois espantam os maus espíritos, além de servir para acordar são João com o barulho.

A lavagem dos santos é o momento em que as suas bandeiras são mergulhadas em água, para trazer purificação. As bandeirolas representam as bandeiras dos santos, levando purificação a todo o local da festa.

O pau de sebo é uma brincadeira com o objetivo de se ganhar uma quantia em dinheiro, que está afixada em seu topo. Com essa diversão a festa fica mais animada, pois as pessoas têm que subir no mastro, lambuzado de gordura. Muitas vezes, os participantes vão subindo nos ombros uns dos outros, até conseguirem pegar o prêmio, que acaba servindo para pagar parte de suas despesas na festa.

As simpatias proporcionam aos convidados maior sorte no amor. Os santos juninos são conhecidos como santos casamenteiros, mas santo Antônio é o mais influente deles. Nessas práticas, a imagem do santo é castigada, até que a pessoa consiga encontrar um amor.

As comidas típicas também são símbolos juninos, como forma de agradecimento pela fartura nas colheitas, principalmente do milho, a festa se tornou farta em seus deliciosos quitutes como: curau, canjica, pamonha, bolo de milho, milho cozido, pé de moleque, paçoquinha, Mané pelado, dentre outras.

Livros sobre Festa Junina


Indicação de livros sobre a Festa Junina, história, melhores livros, bibliografia, recomendação de leitura, cultura popular.

Livros sobre a Festa Junina (bibliografia indicada)

Carnaval e Festas Juninas - Coleção Você Sabia ? Sítio do Picapau Amarelo
Autor: Mendes, Miguel
Editora: Globo Editora

Como é bom Festa Junina – Volume I
Autor: Avi, Ivã Ramon do Amaral
Editora: Esfera

Como é bom Festa Junina – Volume II
Autor: Vários
Editora: Esfera

Festas Juninas
Autor: Brandão, Toni
Editora: Studio Nobel

Brincadeiras na Festa Junina
Autor: Oshima, Célia / Martinez, Eliane
Editora: Paulinas

Festas Juninas (livro de culinária)
Autor: Capuani, Rosalina M.
Editora: Pancast

Festas e delícias juninas (livro de culinária)
Autor: Melhoramentos
Editora: Melhoramentos

Músicas Típicas de Festas Juninas



CAPELINHA DE MELÃO
autor: João de Barros e Adalberto Ribeiro

Capelinha de melão
é de São João.
É de cravo, é de rosa, é de manjericão.

São João está dormindo,
não me ouve não.
Acordai, acordai, acordai, João.

Atirei rosas pelo caminho.
A ventania veio e levou.
Tu me fizeste com seus espinhos uma coroa de flor.

__________________________________________

PEDRO, ANTÔNIO E JOÃO
autor: Benedito Lacerda e Oswaldo Santiago

Com a filha de João
Antônio ia se casar,
mas Pedro fugiu com a noiva
na hora de ir pro altar.

A fogueira está queimando,
o balão está subindo,
Antônio estava chorando
e Pedro estava fugindo.

E no fim dessa história,
ao apagar-se a fogueira,
João consolava Antônio,
que caiu na bebedeira.

__________________________________________


BALÃOZINHO

Venha cá, meu balãozinho.
Diga aonde você vai.
Vou subindo, vou pra longe, vou pra casa dos meus pais.

Ah, ah, ah, mas que bobagem.
Nunca vi balão ter pai.
Fique quieto neste canto, e daí você não sai.

Toda mata pega fogo.
Passarinhos vão morrer.
Se cair em nossas matas, o que pode acontecer.
Já estou arrependido.
Quanto mal faz um balão.
Ficarei bem quietinho, amarrado num cordão.

__________________________________________


SONHO DE PAPEL
autor: Carlos Braga e Alberto Ribeiro

O balão vai subindo, vem caindo a garoa.
O céu é tão lindo e a noite é tão boa.
São João, São João!
Acende a fogueira no meu coração.

Sonho de papel a girar na escuridão
soltei em seu louvor no sonho multicor.
Oh! Meu São João.

Meu balão azul foi subindo devagar
O vento que soprou meu sonho carregou.
Nem vai mais voltar.

__________________________________________

PULA A FOGUEIRA
autor: João B. Filho

Pula a fogueira Iaiá,
pula a fogueira Ioiô.
Cuidado para não se queimar.
Olha que a fogueira já queimou o meu amor.

Nesta noite de festança
todos caem na dança
alegrando o coração.
Foguetes, cantos e troca na cidade e na roça
em louvor a São João.

Nesta noite de folguedo
todos brincam sem medo
a soltar seu pistolão.
Morena flor do sertão, quero saber se tu és
dona do meu coração.

__________________________________________


CAI, CAI, BALÃO

Cai, cai, balão.
Cai, cai, balão.
Aqui na minha mão.
Não vou lá, não vou lá, não vou lá.
Tenho medo de apanhar.

Comidas Típicas e Tradições das Festas Juninas



Comidas típicas

Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos.
Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais.

Tradições

As tradições fazem parte das comemorações. O mês de junho é marcado pelas fogueiras, que servem como centro para a famosa dança de quadrilhas. Os balões também compõem este cenário, embora cada vez mais raros em função das leis que proíbem esta prática, em função dos riscos de incêndio que representam.

No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos ficam andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos festeiros.

Já na região Sudeste são tradicionais a realização de quermesses. Estas festas populares são realizadas por igrejas, colégios, sindicatos e empresas. Possuem barraquinhas com comidas típicas e jogos para animar os visitantes. A dança da quadrilha, geralmente ocorre durante toda a quermesse.

Como Santo Antônio é considerado o santo casamenteiro, são comuns as simpatias para mulheres solteiras que querem se casar. No dia 13 de junho, as igrejas católicas distribuem o “pãozinho de Santo Antônio”. Diz a tradição que o pão bento deve ser colocado junto aos outros mantimentos da casa, para que nunca ocorra a falta. As mulheres que querem se casar, diz a tradição, devem comer deste pão.

Origem da Festa Junina


Origem da Festa Junina

Existem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.

De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).

Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.

Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.

Festas Juninas no Nordeste

Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.

Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas.

Imagens Juninas!!!

Que lindo!! Caipiras!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...